Dicas - Profº Dirceu Moreira

Transtornos Pré Matrimoniais: A TPM DOS NOIVOS - I

Primeiramente vamos esclarecer que está é outra TPM(*), ou seja “Tensão Pré Matrimonial”, a que muitas vezes estão sujeitos os noivos quando entram na fase em que o casamento está com data marcada. Esta TPM poderá trazer alguns transtornos caso não seja administrada ou orientada adequando durante este período. Fatores estes que poderão estar ligados ao amadurecimento psíquico e mental do futuro casal e ainda como se desenvolveu o relacionamento a dois na fase de namoro e noivado. Não é pouco comum acontecer desentendimento nesta fase, que acaba deixando marcas e cicatrizes. Então quando os noivos resolvem partir para o casamento com roupas encardidas, só máquina de lavar não resolverá o problema, porque (má-água) não limpam bem, ao contrário, encardem ainda mais.Acreditamos que neste momento é preciso procurar ajuda de um consultor de relacionamento ou terapeuta.

A TPM (tensão pré-matrimonial), aliás é bom que se diga não deve ser encarada como alguma coisa pejorativo ou de caráter negativo. Ela é natural e faz parte de todos os momentos que exigem uma tomada de decisão, para o “sim” ou para o “não”. É um jogo de polaridade, e o amadurecimento e a forma temperamental de encarar o problema é que vai determinar a versatilidade na resolução do conflito. Administrar esta fase de forma adequada durante este período de pré-casamento é sair fortalecido no relacionamento. Poderíamos dizer que se bem compreendida é um pré-vestibular para o casamento. Então porque não tirar boa nota? Relacionamentos não são e nem devem ser encarados como bicho de sete cabeças e muito menos aconselhamento, consultoria de relacionamento, psico terapia tenha que ser vista no dias atuais, como coisa de “doido”.

Iremos abordar em alguns artigos um pouco mais detalhado as fases deste processo tais como:

O momento da Decisão: constitui os alicerces e as bases que sustentarão todo o evento desde o 1ª dia até o casamento.

O momento da informação: participar os familiares de ambos os lados. Isto se chama qualificação e respeito.

A hora de administrar: Os prós e os contras (expectativas dos pais x noivos). Administrar o financeiros (ligado à hora da decisão). Cuidar do relacionamento, mantendo a auto-estima.

Apoio externo: consultoria de eventos, como é o caso da La Fiance e consultoria de relacionamento (serviço disponibilizado exclusivamente pela La Fiance através de work shop).

Rompendo laços familiares: aspecto psicológico importante na elaboração de perda. É o momento em que o casal deixará o seio familiar para formar a sua própria família, sem o sentimento de culpa, medo, abandono ou perda. É o momento da transformação.

O Dia “D”: este dia pode ter vários significados, desde o dia “de” boas recordações ou... Tudo vai depender de todas as fases anteriores.

A Lua de Mel e o dia de Sol: Quanto tempo leva a chamada “lua de mel” (não apenas os primeiros dias pós-casamento)? Quando virá o Dia de Sol?

O retorno ao lar: a realidade do dia a dia. Os laços de amor e sabedoria serão os alicerces para os eventuais conflitos nesta nova jornada.

Quais são os mecanismos psicológicos, que por vezes assumimos diante dos sintomas da “TPM”- tensão pré-matrimonial?
Eles ocorrem dentro da nossa psique representado por nossas emoções, e estes desvios se dão de três formas:1ª) inconsciente, momento em que a pessoa reage de forma automática aos estímulos emocionais que, diga-se de passagem, são muitos, principalmente no atual momento da humanidade. 2º) pré-consciente, momento em que a pessoa toma uma decisão, percebe um certo desconforto de que aquela não foi a melhor atitude, mas na medida em que passa o tempo ela se esquece do que aconteceu e volta a repetir, mas também poderá começar a percebe-los e é neste momento que procura ajuda. 3ª) consciente, momento este em que a pessoa se utiliza do ponto fraco do outro e procura tirar proveito. Esta é a condição mais desfavorável que um ser humano pode tomar em relação ao outro. Em se tratando de relacionamento a dois, qualquer um diria que é inaceitável.

No primeiro e segundo caso, esta TPM se torna vulnerável diante de uma outra chamada de “TPM®- Transtornos da Passividade Mental”, que leva as pessoas a um nível elevado de estresse e de desequilíbrio nos relacionamentos. É dela que iremos falar, para que você possa perceber se alguma daquelas oito etapas relacionadas está sendo comprometida e comprometendo também o seu relacionamento.

Vamos iniciar com exemplos de tipos de relacionamentos e procure verificar em qual característica você mais se identifica ou que mais se aproxima de você. Não entenda isso como rótulo ou pré-conceitos. Antes de tudo o ser humano é ilimitado na sua grandeza e na sua essência, utilizaremos recursos apenas para facilitar a compreensão das diversas formas de nos relacionarmos.

Imagine um casal de noivos que resolvem sair para jantar e negociar a melhor data para o casamento.

Exemplo nº 1 Um diz para o outro:
_ Amor! o que você acha de marcarmos para nosso casamento para o mês de maio que é o mês das noivas. É um mês delicioso, é outono o mês da renovação. Vai ser tão romântico sentir aquele ventinho, aquela garoinha fria implorando para o inverno chegar. O meu vestido pode ser de manga comprida e meu buquê de orquídea e blá, blá, blá...
_ Espere ai Amorrrr em que ano é este mês de maio que você está falando?
_ Ah tolinho! Deste ano.
_ Hello! (quase espumando) vê se acorda, nos estamos no mês de abriuuu.
_ E eu não sei! ( com aquele olhar: “tá me achando com cara de besta”).

Exemplo nº2 – Vejamos um segundo tipo de casal:
_Meu amor, nestes últimos oito meses estive pensando, afinal já namoramos cinco anos e temos três de noivado. Talvez já estivesse chegando a hora de pensarmos numa possível data do nosso casamento, quem sabe daqui um ou dois anos. O que você acha?

Ela olha para ele com olhar morno e meio sorriso (sorriso econômico) passa o dedo ao redor da taça de vinho, aprecia a cor, experimenta, olha para o prato, come um pedaço de batata, mastiga lentamente, passa o guardanapo pela boca, e depois de muito tempo levanta os olhos e responde:
_ É! É uma boa idéia, vamos pensar.
_ Que bom que você gostou.
Ele pensa: será que ela me ama mesmo...
Por outro lado ela pensa: que momento lindo, ele é demais. Que delicia de sobremesa...
Esta é a chamada fase da decisão, aquela primeira citada inicialmente. E como foi que ela começou?
(TPM *) Tensão Pré-Matrimonial - Termo este que aprendi com a Railda, da La-Fiance.
Ao longo dos artigos vamos estar comentando e trazendo exemplos dos tipos de personalidades e suas possíveis saídas nas tomadas de decisões

Voltar

Rua Tietê, 119 | Rudge Ramos | SBC | SP | Telefone: +55 (11) 4331 1480 | 2863 2414 | Nextel: (11) 9 4721 0110